Se a teoria é rapidamente esquecida,
o gesto e a experiência artística
ficam no corpo, na memória, no olhar.

Out 302016
 

Os "jovens programadores" do Cineclube das Gaivotas apresentaram A Cidade Onde Envelheço, de Marília Rocha, no domingo 30 de Outubro de 2016 no Cinema São Jorge, em Lisboa.

O "jovens programadores" convidaram Francisca Manuel e Elizabete Francisca, protagonistas/actrizes do filme assim como Raquel Pacheco para participar numa conversa a seguir a projeção.

Esta sessão realizada em parceira com DocEscolas, serviço educativo do Festival DocLisboa, insere-se no programa Jovens Programadores, integrado no projecto europeu Moving Cinema, dinamizado em Portugal pela associação Os Filhos de Lumière em parceria nomeadamente com a Cinemateca Portuguesa - Museu do Cinema.
Out 282016
 

Os "jovens programadores" do Cineclube das Gaivotas vão apresentar A Cidade Onde Envelheço, de Marília Rocha, no domingo 30 de Outubro de 2016 ás 18h00 no Cinema São Jorge - Sala 2, em Lisboa.

O "jovens programadores" convidaram Raquel Pacheco para participar numa conversa a seguir a projeção.

Esta sessão realizada em parceira com DocEscolas, serviço educativo do Festival DocLisboa, insere-se no programa Jovens Programadores, integrado no projecto europeu Moving Cinema, dinamizado em Portugal pela associação Os Filhos de Lumière em parceria nomeadamente com a Cinemateca Portuguesa - Museu do Cinema.

Os parceiros do projecto Moving Cinema são: A Bao A Qu (Catalunha/Espanha),  Os Filhos de Lumière (Portugal), Meno Avilys (Lituânia), La Cinémathèque française (França) e  o Centre for the Moving Image (Escócia/Reino Unido)
Jul 132016
 
Os "jovens programadores" do Cineclube das Gaivotas vão apresentar Grazuolé de Arūnas Žebriūnas no sábado 16 de Julho de 2016 ás 18h00 na Cinemateca Portuguesa.

O título do filme de Arūnas Žebriūnas refere o nome da sua jovem protagonista de nove anos, que enfrenta a estigmatização de outras crianças na escola por supostos problemas familiares. No contexto soviético dos anos sessenta, Gražuolé detém‐se na relação entre pais e lhos, na vulnerabilidade das relações humanas, e na crueldade própria da infância. Conhecido internacionalmente como "Beauty" ou "The Beautiful Girl". Primeira exibição na Cinemateca. (in programa da Cinemateca - Julho 2016)

Os parceiros do projecto Moving Cinema são: A Bao A Qu (Catalunha/Espanha),  Os Filhos de Lumière (Portugal), Meno Avilys (Lituânia). A França (através da Cinemateca francesa) e  o Centre for the Moving Image (Escócia/Reino Unido)
Jun 272016
 
Os "jovens programadores" do Cineclube das Gaivotas vão apresentar Grazuolé de Arūnas Žebriūnas no sábado 16 de Julho de 2016 ás 15h00 na Cinemateca Portuguesa

O título do filme de Arūnas Žebriūnas refere o nome da sua jovem protagonista de nove anos, que enfrenta a estigmatização de outras crianças na escola por supostos problemas familiares. No contexto soviético dos anos sessenta, Gražuolé (estreado em 1969) detém‐se na relação entre pais e lhos, na vulnerabilidade das relações humanas, e na crueldade própria da infância. Conhecido internacionalmente como "Beauty" ou "The Beautiful Girl". Primeira exibição na Cinemateca, a apresentar em cópia digital. (in programa da Cinemateca - Julho 2016)

As programações de cinema feitas pelos jovens e para os jovens têm um valor duplo: a formação profunda dos jovens que fazem parte do grupo de programadores (Cineclube das Gaivotas), e por outro lado a inovação na forma de ir ao encontro dos jovens espectadores em geral.

A programação de filmes implica ver os mesmos com atenção, de modo a conhecer o trabalho dos realizadores, estabelecer relações, pensar como apresentar o filme ao público: as formas de acompanhá-lo, divulgá-lo, e assim possibilitar a descoberta e a apreciação do mesmo. Ao desenvolver estes processos, os jovens programadores criam uma ligação particular com o cinema que veem e programam, e transmitem a outros jovens.

Os parceiros que integram o projecto Moving Cinema são: A Bao A Qu (Catalunha/Espanha),  Os Filhos de Lumière (Portugal), Meno Avilys (Lituânia). A França (através da Cinemateca francesa) e  o Centre for the Moving Image (Escócia/Reino Unido)
Mai 092016
 


No dia 7 de Maio realizou-se a segunda sessão pública de 2016, do Cineclube das Gaivotas, na Cinemateca Portugesa - Museu do Cinema, com o filme “Conto de Verão”, de Éric Rohmer, sessão que se inseriu na programação da 4ª edição de “7 dias com os Media”, iniciativa promovida pelo GILM - Grupo Informal sobre Literacia para os Media.

A projecção, que contou com sala cheia, foi seguida por uma conversa entre o público e os membros do cineclube ao lado de Nuno Salema, psicólogo que explora o teatro e o movimento expressivo como terapia. No centro da conversa esteve a análise e interpretação das várias dimensões das relações e ligações humanas no período de transição entre a adolescência e a idade adulta.

Como suporte da sessão, os jovens do Cineclube das Gaivotas, produziram uma fanzine sobre o filme a partir de uma extensa conversa que tiveram imediatamente após uma primeira visualização do filme, com as cineastas  Teresa Garcia e Ana Eliseu.

O Cineclube das Gaivotas é uma actividade semanal da associação Os Filhos de Lumière acompanhada por cineastas e integrada nos projectos Moving Cinema/Jovens Programadores e Bip/Zip, em parceria com a Cinemateca Portuguesa e a Câmara Municipa de Lisboa, na qual os jovens participantes vêem e discutem filmes escolhidos por eles próprios, e programam os filmes a serem projectados em sessões públicas, pensadas, organizadas e divulgadas pelos mesmos. Os encontros decorrem em Lisboa, todos os sábados, no espaço cultural Rua das Gaivotas 6 ou na Cinemateca Portuguesa.
Mai 082016
 
Caderno realizado pelos membros do Cineclube das Gaivotas para acompanhar a projeção de Conto de Verão, de Eric Rohmer, no sábado 7 de Maio de 2016 na Cinemateca Portugesa - Museu do Cinema, no âmbito do projecto "Moving Cinema / Jovens programadores". 









O Cineclube das Gaivotas resultou de uma proposta concreta despoletada pela ideia base do projeto europeu Moving Cinema e de Os Filhos de Lumière: Pensar e promover o cinema, sobretudo entre a geração Z. Há sensivelmente dois anos, o grupo (idades entre os 15 e os 19) começou a programar sessões privadas na Sala Luís de Pina na Cinemateca, todos os sábados à mesma hora. O entusiasmo cresceu e o Cineclube expandiu-se. O motivo continua o mesmo, difundir, traduzir e perceber o cinema.