Se a teoria é rapidamente esquecida,
o gesto e a experiência artística
ficam no corpo, na memória, no olhar.

Jun 092019
 
O filme Fala com Ela (Hable con Ella), de Pedro Almodóvar será apresentado na terça-feira 18 de Junho de 2019, às 19h00, na Cinemateca Portuguesa, numa sessão pensada e programada pelo Cineclube das Gaivotas, iniciativa da associação cultural Os Filhos de Lumière para o fomento de jovens programadores.

As programações de cinema feitas pelos jovens e para os jovens têm um valor duplo: a formação profunda dos jovens que fazem parte do grupo de programadores (Cineclube das Gaivotas), e por outro lado a inovação na forma de ir ao encontro dos espectadores em geral.

A programação de filmes implica ver os mesmos com atenção, de modo a conhecer o trabalho dos realizadores, estabelecer relações, pensar como apresentar o filme ao público: as formas de acompanhá-lo, divulgá-lo, e assim descoberta e a apreciação do mesmo. Ao desenvolver estes processos, os jovens programadores criam uma ligação particular com o cinema que veem e programam, e transmitem aos outros.

O Cineclube das Gaivotas nasceu em 2014. A ideia era juntar, em Lisboa, um grupo de jovens entre os 15 e os 18 anos à volta do cinema – projetar e discutir filmes, fomentando a atividade de jovens programadores. O projeto cresceu e a Cinemateca acolheu algumas sessões do Cineclube, seguidas de conversa com a presença de convidados escolhidos em articulação com os filmes. Integrando o Moving Cinema, projeto europeu que reuniu jovens programadores dos países participantes, o Cineclube das Gaivotas programou uma sessão no âmbito do festival Doclisboa 2016 e estreou‐se o ano passado com um formato de sessões duplas em colaboração com os outros jovens programadores do Moving Cinema em Barcelona, Edimburgo e Vilnius. Esta será a sua oitava sessão pública, em parceria com a Cinemateca Portuguesa, sempre aberta a novos jovens interessados em juntarem‐se para ver e discutir cinema.
Abr 032019
 
No dia 3 de Abril de 2019 os alunos do Clube de Cinema da Escola E.B.2.3 de Sobral de Monte Agraço fizeram mais uma sessão do programa Cinema, cem anos de juventude 2018-2019 sobre o tema "A Situação no Cinema". Durante esta sessão iniciou-se o trabalho sobre o argumento do filme-ensaio (filme final).

 
Oficina orientada por Teresa Garcia (realização) com o apoio de Simão Chambel (produção)
Fev 282019
 


O filme Terra em Transe de Glauber Rocha foi apresentado na terça-feira 26 de Fevereiro de 2019, na Cinemateca Portuguesa, numa sessão pensada e programada pelo Cineclube das Gaivotas, iniciativa da associação cultural Os Filhos de Lumière para o fomento de jovens programadores.

A seguir a apresentação pelos membros do Cineclube e Francisco Valente da Cinemateca Portuguesa e o visionamento do filme na sala Felix Ribeiro, houve uma conversa na sala Luís de Pina com os convidados Alex Cassal, Leonardo Mouramateus, Yuri Firmeza, os membros do Cineclube das Gaivotas e os espectadores.

As programações de cinema feitas pelos jovens e para os jovens têm um valor duplo: a formação profunda dos jovens que fazem parte do grupo de programadores (Cineclube das Gaivotas), e por outro lado a inovação na forma de ir ao encontro dos espectadores em geral.

A programação de filmes implica ver os mesmos com atenção, de modo a conhecer o trabalho dos realizadores, estabelecer relações, pensar como apresentar o filme ao público: as formas de acompanhá-lo, divulgá-lo, e assim descoberta e a apreciação do mesmo. Ao desenvolver estes processos, os jovens programadores criam uma ligação particular com o cinema que veem e programam, e transmitem aos outros.

O Cineclube das Gaivotas nasceu em 2014. A ideia era juntar, em Lisboa, um grupo de jovens entre os 15 e os 18 anos à volta do cinema – projetar e discutir filmes, fomentando a atividade de jovens programadores. O projeto cresceu e a Cinemateca acolheu algumas sessões do Cineclube, seguidas de conversa com a presença de convidados escolhidos em articulação com os filmes. Integrando o Moving Cinema, projeto europeu que reuniu jovens programadores dos países participantes, o Cineclube das Gaivotas programou uma sessão no âmbito do festival Doclisboa 2016 e estreou‐se o ano passado com um formato de sessões duplas em colaboração com os outros jovens programadores do Moving Cinema em Barcelona, Edimburgo e Vilnius. Esta foi a sua decima sessão pública, em parceria com a Cinemateca Portuguesa, sempre aberta a novos jovens interessados em juntarem‐se para ver e discutir cinema.
Jan 192019
 
O filme Terra em Transe de Glauber Rocha será apresentado na terça-feira 26 de Fevereiro de 2019, às 19h00, na Cinemateca Portuguesa, numa sessão pensada e programada pelo Cineclube das Gaivotas, iniciativa da associação cultural Os Filhos de Lumière para o fomento de jovens programadores.

As programações de cinema feitas pelos jovens e para os jovens têm um valor duplo: a formação profunda dos jovens que fazem parte do grupo de programadores (Cineclube das Gaivotas), e por outro lado a inovação na forma de ir ao encontro dos espectadores em geral.

A programação de filmes implica ver os mesmos com atenção, de modo a conhecer o trabalho dos realizadores, estabelecer relações, pensar como apresentar o filme ao público: as formas de acompanhá-lo, divulgá-lo, e assim descoberta e a apreciação do mesmo. Ao desenvolver estes processos, os jovens programadores criam uma ligação particular com o cinema que veem e programam, e transmitem aos outros.

O Cineclube das Gaivotas nasceu em 2014. A ideia era juntar, em Lisboa, um grupo de jovens entre os 15 e os 18 anos à volta do cinema – projetar e discutir filmes, fomentando a atividade de jovens programadores. O projeto cresceu e a Cinemateca acolheu algumas sessões do Cineclube, seguidas de conversa com a presença de convidados escolhidos em articulação com os filmes. Integrando o Moving Cinema, projeto europeu que reuniu jovens programadores dos países participantes, o Cineclube das Gaivotas programou uma sessão no âmbito do festival Doclisboa 2016 e estreou‐se o ano passado com um formato de sessões duplas em colaboração com os outros jovens programadores do Moving Cinema em Barcelona, Edimburgo e Vilnius. Esta será a sua nona sessão pública, em parceria com a Cinemateca Portuguesa, sempre aberta a novos jovens interessados em juntarem‐se para ver e discutir cinema.
Set 272018
 
O filme Les Glaneurs et la Glaneuse / Os respigadores e a Respigadora de Agnès Varda será apresentado na quinta-feira 11 de Outubro, às 19h00, na Cinemateca Portuguesa, numa sessão pensada e programada pelo Cineclube das Gaivotas, iniciativa da associação cultural Os Filhos de Lumière para o fomento de jovens programadores.

As programações de cinema feitas pelos jovens e para os jovens têm um valor duplo: a formação profunda dos jovens que fazem parte do grupo de programadores (Cineclube das Gaivotas), e por outro lado a inovação na forma de ir ao encontro dos espectadores em geral.

A programação de filmes implica ver os mesmos com atenção, de modo a conhecer o trabalho dos realizadores, estabelecer relações, pensar como apresentar o filme ao público: as formas de acompanhá-lo, divulgá-lo, e assim descoberta e a apreciação do mesmo. Ao desenvolver estes processos, os jovens programadores criam uma ligação particular com o cinema que veem e programam, e transmitem aos outros.

O Cineclube das Gaivotas nasceu em 2014. A ideia era juntar, em Lisboa, um grupo de jovens entre os 15 e os 18 anos à volta do cinema – projetar e discutir filmes, fomentando a atividade de jovens programadores. O projeto cresceu e a Cinemateca acolheu algumas sessões do Cineclube, seguidas de conversa com a presença de convidados escolhidos em articulação com os filmes. Integrando o Moving Cinema, projeto europeu que reuniu jovens programadores dos países participantes, o Cineclube das Gaivotas programou uma sessão no âmbito do festival Doclisboa 2016 e estreou‐se o ano passado com um formato de sessões duplas em colaboração com os outros jovens programadores do Moving Cinema em Barcelona, Edimburgo e Vilnius. Esta será a sua oitava sessão pública, em parceria com a Cinemateca Portuguesa, sempre aberta a novos jovens interessados em juntarem‐se para ver e discutir cinema.