Se a teoria é rapidamente esquecida,
o gesto e a experiência artística
ficam no corpo, na memória, no olhar.

Abr 142016
 

Decorreu no dia 12 de Abril de 2016, no âmbito da oficina Filmar 20, a introdução aos projectos europeus de educação para o cinema CinEd e Moving Cinema, e da nova página do projecto Le Cinéma, cent ans de jeunesse, conduzido pela Cinemateca Francesa e da responsabilidade da associação Os Filhos de Lumière em Portugal.

O projecto CinEd, um programa de cooperação europeia em prol da educação para o cinema, promovido pelo Institut Française da responsabilidade em Portugal, de Os Filhos de Lumière, A Bao A Qu(Espanha), GET-Cooperativa sociale(Itália),NexT e Macondo (Roménia), SEVEN(Bulgária), Association of Czech Film Club(República Checa), é apoiado pela Europa Criativa / programa Media.

Trata-se de um programa inovador e estruturado de educação ao cinema que propõe uma selecção de filmes europeus e recursos pedagógicos em oito línguas, disponíveis numa plataforma digital com qualidade para projecção em sala, englobando também uma componente de formação de professores e da prática de cinema.

A oficina Filmar 20  que começou do dia 5 de Abril e terá lugar até ao dia 10 de Maio de 2016, é uma oficina de iniciação ao cinema para professores e adultos que pretende desenvolver formas pedagógicas direccionadas para a sensibilização à linguagem e à matéria cinematográfica, estando também contemplado a introdução aos programas europeus CinEd e Moving Cinema.
Mar 082016
 

Decorreu no dia 5 de Março de 2016 as filmagens de dois filmes colectivos no âmbito da oficina Filmar 18 em Évora.
Cineastas-formadores: Teresa Garcia e Rossana Torres (realização), José Lã Correia (imagem e som), Maria Maranha (imagem e som).

No âmbito da parceria entre Os Filhos de Lumière e a Direccção Regional de Cultura do Alentejo, está a decorrer em Évora, do dia 26 de Fevereiro até ao dia 19 de Março de 2016, uma oficina Filmar de iniciação ao cinema para professores e adultos, em colaboração com a Escola Secundária Gabriel Pereira e o Cinema-Fora-dos-Leões. Com esta formação, pretende-se desenvolver formas pedagógicas direccionadas para a sensibilização à linguagem e à matéria cinematográfica, estando também contemplado a introdução aos programas europeus CinEd e Moving Cinema

Em abril vão realizar-se oficinas Filmar, em Lisboa e no Fundão, com datas de início previstas para 5 e 15 de abril respectivamente.
Fev 272016
 
No âmbito da parceria entre Os Filhos de Lumière e a Direccção Regional de Cultura do Alentejo, está a decorrer em Évora, do dia 26 de Fevereiro até ao dia 19 de Março de 2016, uma oficina Filmar de iniciação ao cinema para professores e adultos, em colaboração com a Escola Secundária Gabriel Pereira e o Cinema-Fora-dos-Leões. Com esta formação, pretende-se desenvolver formas pedagógicas direccionadas para a sensibilização à linguagem e à matéria cinematográfica, estando também contemplado a introdução aos programas europeus CinEd e Moving Cinema

Em abril vão realizar-se oficinas Filmar, em Lisboa e no Fundão, com datas de início previstas para 5 e 15 de abril respectivamente.
Fev 202016
 

A associação Os Filhos de Lumière, acolheu em Lisboa, entre os dias 17 e 19 de fevereiro, o encontro entre os parceiros de Portugal, França, Espanha, Itália, República Checa, Roménia e Bulgária do programa europeu de educação ao cinema CinEd, para reflexão sobre as metodologias de trabalho e os objectivos já alcançados, bem como as estratégias pedagógicas e de disseminação a adoptar após o lançamento da plataforma online criada especificamente para o projecto. As sessões de trabalho tiveram lugar no espaço cultural Rua das Gaivotas e Cinemateca Portuguesa-Museu do Cinema, e contou igualmente com a participação da associação finlandesa Ihme Filmi que irá tornar-se um parceiro do CinEd ainda durante este ano.

A tecnologia digital tem tido um importante impacto na forma não só como se produz, mas como se distribui e acede aos bens culturais. O desenvolvimento de ferramentas que permitam uma descoberta do cinema europeu, explorando a sua riqueza e diversidade, estão na base do programa, que disponibiliza uma colecção de filmes digitalizados e legendados em sete línguas, acompanhados de materiais pedagógicos, com o intuito de desenvolver a percepção e o imaginário através do encontro e o diálogo com os filmes, cineastas e cinematografias. Os filmes e respectivos cadernos pedagógicos estarão acessíveis online, numa plataforma gratuita e multilingue.
Materiais pedagógicos para professores e educadores

“A originalidade e a diversidade dos cadernos pedagógicos, bem como a proposta de ligações dentro da colecção constituem a especificidade do programa”, resume Nathalie Bourgeois, da Cinemateca Francesa, parceiro pedagógico do CinEd. Cada país está neste momento a finalizar os cadernos pedagógicos, em colaboração com cineastas e especialistas que, para cada filme propõem uma contextualização, análise e exercícios de comparação. Durante esta primeira fase de experimentação, tiveram ainda lugar comités de validação, que incluíram sessões de trabalho em pequenos grupos com dois a três países parceiros em Bari (Itália), Sofia (Bulgária) e Bucareste (Roménia).

Embora o ponto de partida seja a plataforma digital, o objectivo máximo passa por levar o cinema europeu, inicialmente em circuito não comercial, ás salas de cinema e outros espaços, como festivais, cineclubes etc, dirigido ao público escolar, havendo em cada país parceiro um trabalho de formação de professores com o apoio de cineastas e profissionais de cinema, bem como a organização de projecções-conversa com crianças e jovens. Em Portugal, a partir de Fevereiro, estão previstas actividades de formação, no âmbito do CinEd, em Évora, Lisboa e Fundão.

A importância do trabalho colaborativo

“A circulação e partilha do trabalho desenvolvido pela rede de parceiros é fundamental para o sucesso do programa”, foi um dos aspectos destacados durante o encontro em Lisboa por Léna Rouxel, responsável pela gestão global do programa, pelo Institut Français, estando previsto um simpósio em julho, na República Checa, para avaliação do primeiro ano do projecto e encontro com representantes de organizações e projectos que trabalham a educação ao cinema na Europa, e ainda diferentes sessões de trabalho entre os vários parceiros.

Durante este segundo ano do projecto, será ainda desenvolvido um caderno sobre metodologias, sob a coordenação da Cinemateca Francesa, que incluirá alguns resultados das primeiras acções, assim como recomendações práticas de trabalho com os recursos pedagógicos disponíveis na plataforma.

Nesta primeira fase os filmes disponibilizados na plataforma vão ser: Shelter de Dragomir Sholev (Bulgária, 2011); En Construcción de José Luis Guerin (Espanha, 2001); O Espírito da Colmeia de Victor Erice (Espanha, 1973); Pierrot le fou de Jean-Luc Godard (França, 1965); Rentrée des Classes de Jacques Rozier (França, 1955); Petite Lumière de Alain Gomis (França, 2003); O Sangue de Pedro Costa (Portugal, 1989); Uma Pedra no Bolso de Joaquim Pinto (Portugal, 1987); The Happiest Girl in the World de Radu Jude (Roménia, 2009) e The Way I Spent the End of the World de Cãtãlin Mitulescu (Roménia, 2006)

A coordenação geral do programa está a cargo do Institut Français, ficando a coordenação local da responsabilidade dos parceiros, em que no caso português é assumida pela associação Os Filhos de Lumière.
Fev 022016
 


“O Cinema como Ferramenta de Aprendizagem", reportagem de Maria João Leite, sobre o trabalho desenvolvido pela associação Os Filhos de Lumière, na edição nº206 da revista “A Página da Educação” (Inverno 2015).

O cinema pode ser uma boa ferramenta de aprendizagem. Na escola e na vida. Fazer chegar o cinema a diferentes públicos, sensibilizando-os para a sétima das artes e fazendo-os comprender a arte cinemagráfica, é a missão d'Os Filhos de Lumière. Esta associação cultural concebe e promove diversas atividades que estimulam os participantes a ver o mundo de outra forma. Eles aprendem a olhar e a establecer relações. Porque o cinema também educa...
Maria João Leite