Se a teoria é rapidamente esquecida,
o gesto e a experiência artística
ficam no corpo, na memória, no olhar.

Dez 142020
 
Entrevista (Intervista, 1987), de Federico Fellini, será apresentado na quinta-feira 17 de Dezembro de 2020 às 18h00 no Auditório Soror Mariana em Évora, no âmbito do projecto No País do Cinema numa sessão de Cinema-Fora-dos Leões / Universidade de Évora, em parceria com Os Filhos de Lumière, no âmbito do ciclo "Sob o Signo de Fellini"" em comemoração do centenário do nascimento de Federico Fellini. Entrada livre.
 
O presente ciclo de cinema explora a dimensão multifuncional e colaboracionista de Fellini na Cinecittà dos anos 40 e 50, onde a sua influência e presença transcenderam o número de filmes que realizou.
Fellini foi, sem qualquer dúvida, uma importante peça na engrenagem da indústria cinematográfica italiana, tendo, nos seus anos formativos, participado como assistente de realização, argumentista, produtor e actor em filmes realizados por alguns dos principais cineastas italianos da época, como, por exemplo, Roberto Rossellini, Michelangelo Antonioni, Alberto Lattuada, Dino Risi, Mario Bonnard, Pietro Germi, Eduardo De Filippo e Mario Mattoli.
Acreditamos que a verdadeira grandeza do seu legado deve incluir um lado mais desconhecido: o das inúmeras funções, papéis e colaborações que desempenhou em projectos realizados por outros cineastas e que atestam a sua extraordinária prolificidade e artisticidade.

Esta sessão é organizada com o apoio da Direcção Regional de Cultura do Alentejo, da Universidade de Évora e do ICA - Instituto do Cinema e do Audiovisual.
Dez 142020
 
Entrevista (Intervista, 1987), de Federico Fellini, será apresentado na quinta-feira 17 de Dezembro de 2020 às 18h00 no Auditório Soror Mariana em Évora, no âmbito do projecto No País do Cinema numa sessão de Cinema-Fora-dos Leões / Universidade de Évora, em parceria com Os Filhos de Lumière, no âmbito do ciclo "Sob o Signo de Fellini"" em comemoração do centenário do nascimento de Federico Fellini. Entrada livre.
 
O presente ciclo de cinema explora a dimensão multifuncional e colaboracionista de Fellini na Cinecittà dos anos 40 e 50, onde a sua influência e presença transcenderam o número de filmes que realizou.
Fellini foi, sem qualquer dúvida, uma importante peça na engrenagem da indústria cinematográfica italiana, tendo, nos seus anos formativos, participado como assistente de realização, argumentista, produtor e actor em filmes realizados por alguns dos principais cineastas italianos da época, como, por exemplo, Roberto Rossellini, Michelangelo Antonioni, Alberto Lattuada, Dino Risi, Mario Bonnard, Pietro Germi, Eduardo De Filippo e Mario Mattoli.
Acreditamos que a verdadeira grandeza do seu legado deve incluir um lado mais desconhecido: o das inúmeras funções, papéis e colaborações que desempenhou em projectos realizados por outros cineastas e que atestam a sua extraordinária prolificidade e artisticidade.

Esta sessão é organizada com o apoio da Direcção Regional de Cultura do Alentejo, da Universidade de Évora e do ICA - Instituto do Cinema e do Audiovisual.
Dez 072020
 

O Sheik Branco (Lo Sceicco Bianco, 1952), primeiro filme realizado por Federico Fellini sozinho na realização - e pela primeira vez com música de Nino Rota - será apresentado na quinta-feira 10 de Dezembro de 2020 às 18h00 no Auditório Soror Mariana em Évora, no âmbito do projecto No País do Cinema numa sessão de Cinema-Fora-dos Leões / Universidade de Évora, em parceria com Os Filhos de Lumière, no âmbito do ciclo "Sob o Signo de Fellini"" em comemoração do centenário do nascimento de Federico Fellini. Entrada livre.

 
O presente ciclo de cinema explora a dimensão multifuncional e colaboracionista de Fellini na Cinecittà dos anos 40 e 50, onde a sua influência e presença transcenderam o número de filmes que realizou.
Fellini foi, sem qualquer dúvida, uma importante peça na engrenagem da indústria cinematográfica italiana, tendo, nos seus anos formativos, participado como assistente de realização, argumentista, produtor e actor em filmes realizados por alguns dos principais cineastas italianos da época, como, por exemplo, Roberto Rossellini, Michelangelo Antonioni, Alberto Lattuada, Dino Risi, Mario Bonnard, Pietro Germi, Eduardo De Filippo e Mario Mattoli.
Acreditamos que a verdadeira grandeza do seu legado deve incluir um lado mais desconhecido: o das inúmeras funções, papéis e colaborações que desempenhou em projectos realizados por outros cineastas e que atestam a sua extraordinária prolificidade e artisticidade.

Esta sessão é organizada com o apoio da Direcção Regional de Cultura do Alentejo, da Universidade de Évora e do ICA - Instituto do Cinema e do Audiovisual.
Nov 242020
 
Sem Piedade [Senza pietá], de Alberto Lattuada, será apresentado na quinta-feira 26 de Novembro de 2020 às 18h00 no Auditório Soror Mariana em Évora, no âmbito do projecto No País do Cinema numa sessão de Cinema-Fora-dos Leões / Universidade de Évora, em parceria com Os Filhos de Lumière, no âmbito do ciclo "Sob o Signo de Fellini"" em comemoração do centenário do nascimento de Federico Fellini. Entrada livre.
 
O presente ciclo de cinema explora a dimensão multifuncional e colaboracionista de Fellini na Cinecittà dos anos 40 e 50, onde a sua influência e presença transcenderam o número de filmes que realizou.
Fellini foi, sem qualquer dúvida, uma importante peça na engrenagem da indústria cinematográfica italiana, tendo, nos seus anos formativos, participado como assistente de realização, argumentista, produtor e actor em filmes realizados por alguns dos principais cineastas italianos da época, como, por exemplo, Roberto Rossellini, Michelangelo Antonioni, Alberto Lattuada, Dino Risi, Mario Bonnard, Pietro Germi, Eduardo De Filippo e Mario Mattoli.
Acreditamos que a verdadeira grandeza do seu legado deve incluir um lado mais desconhecido: o das inúmeras funções, papéis e colaborações que desempenhou em projectos realizados por outros cineastas e que atestam a sua extraordinária prolificidade e artisticidade.

Esta sessão é organizada com o apoio da Direcção Regional de Cultura do Alentejo, da Universidade de Évora e do ICA - Instituto do Cinema e do Audiovisual.
Nov 182020
 
O Caminho da Esperança [Il Cammino dela Sperança], de Pietro Germi, será apresentado na quinta-feira 19 de Novembro de 2020 às 18h00 no Auditório Soror Mariana em Évora, no âmbito do projecto No País do Cinema numa sessão de Cinema-Fora-dos Leões / Universidade de Évora, em parceria com Os Filhos de Lumière, no âmbito do ciclo "Sob o Signo de Fellini"" em comemoração do centenário do nascimento de Federico Fellini. Entrada livre.
 
O presente ciclo de cinema explora a dimensão multifuncional e colaboracionista de Fellini na Cinecittà dos anos 40 e 50, onde a sua influência e presença transcenderam o número de filmes que realizou.
Fellini foi, sem qualquer dúvida, uma importante peça na engrenagem da indústria cinematográfica italiana, tendo, nos seus anos formativos, participado como assistente de realização, argumentista, produtor e actor em filmes realizados por alguns dos principais cineastas italianos da época, como, por exemplo, Roberto Rossellini, Michelangelo Antonioni, Alberto Lattuada, Dino Risi, Mario Bonnard, Pietro Germi, Eduardo De Filippo e Mario Mattoli.
Acreditamos que a verdadeira grandeza do seu legado deve incluir um lado mais desconhecido: o das inúmeras funções, papéis e colaborações que desempenhou em projectos realizados por outros cineastas e que atestam a sua extraordinária prolificidade e artisticidade.

Esta sessão é organizada com o apoio da Direcção Regional de Cultura do Alentejo, da Universidade de Évora e do ICA - Instituto do Cinema e do Audiovisual.

 

Nov 182020
 
O Caminho da Esperança [Il Cammino dela Sperança], de Pietro Germi, será apresentado na quinta-feira 19 de Novembro de 2020 às 18h00 no Auditório Soror Mariana em Évora, no âmbito do projecto No País do Cinema numa sessão de Cinema-Fora-dos Leões / Universidade de Évora, em parceria com Os Filhos de Lumière, no âmbito do ciclo "Sob o Signo de Fellini"" em comemoração do centenário do nascimento de Federico Fellini. Entrada livre.
 
O presente ciclo de cinema explora a dimensão multifuncional e colaboracionista de Fellini na Cinecittà dos anos 40 e 50, onde a sua influência e presença transcenderam o número de filmes que realizou.
Fellini foi, sem qualquer dúvida, uma importante peça na engrenagem da indústria cinematográfica italiana, tendo, nos seus anos formativos, participado como assistente de realização, argumentista, produtor e actor em filmes realizados por alguns dos principais cineastas italianos da época, como, por exemplo, Roberto Rossellini, Michelangelo Antonioni, Alberto Lattuada, Dino Risi, Mario Bonnard, Pietro Germi, Eduardo De Filippo e Mario Mattoli.
Acreditamos que a verdadeira grandeza do seu legado deve incluir um lado mais desconhecido: o das inúmeras funções, papéis e colaborações que desempenhou em projectos realizados por outros cineastas e que atestam a sua extraordinária prolificidade e artisticidade.

Esta sessão é organizada com o apoio da Direcção Regional de Cultura do Alentejo, da Universidade de Évora e do ICA - Instituto do Cinema e do Audiovisual.