Se a teoria é rapidamente esquecida,
o gesto e a experiência artística
ficam no corpo, na memória, no olhar.

Mar 252013
 

Decorreu em 22 e 23 de Março de 2013 na Cinemateca Francesa em Paris, o segundo encontro, que reune cineastas, professores e parceiros culturais no programa pedagógico Cinema, cem anos de juventude (Le Cinéma, cent ans de jeunesse), e os coordenadores. É o tempo de fazer um balanço, e reflectir em conjunto, a partir do processo e do resultado dos trabalhos realizados pelos cerca de 900 jovens participantes neste dispositivo, em oito países (França, Portugal, Espanha, Itália, Reino Unido, Brasil [São Paulo, Rio de Janeiro]  Alemanha e Cuba) sobre a questão "Mettre en Scène" o tema deste ano em trabalho.
Cerca de 120 jovens portugueses em escolas da Moita, de Serpa e de Lisboa, participam ao longo do ano lectivo 2012-2013 neste programa vendo e analisando filmes, experimentando o cinema pelo lado da sua criação.
A presença portuguesa em Paris envolve este ano os cineastas Rossana Torres, Ana Eliseu, Teresa Garcia e Pierre-Marie Goulet.
No dia 6 de Abril vai ser realizado um encontro de todos os participantes portugueses na Cinemateca Portuguesa (cineastas, professores e parceiros) para uma reflexão e balanço do trabalho até agora realizado e preparação da próxima etapa: o trabalho sobre os filmes finais que serão apresentados no terceiro e último encontro na Cinemateca Francesa com os participantes de todos os países (em 5, 6 e 7 de Junho de 2013),
Coordenado pela associação Os Filhos de Lumière em parceria com a Cinemateca Portuguesa, este programa pedagógico que envolve o contacto, a reflexão e a experimentação do cinema entre crianças e adolescentes, professores, cineastas e parceiros culturais de várias regiões dos oito países participantes, tem recebido um apoio do ICA-Programa VER para a sua realização em Portugal, da própria Cinemateca Francesa através de um protocolo entre os Ministérios da Cultura e da Educação franceses, das escolas envolvidas, das Câmaras Municipais de Serpa e da Moita, do Instituto Camões e de apoios locais e da própria Associação Cultural Os Filhos de Lumière.