Os Filmes da Minha Infância

 

el_espiritu_de_la_colmena_02O colóquio “Os Filmes da Minha Infância” que teve lugar na Cinemateca Portuguesa em 23 de Fevereiro 2013, contou com testemunhos de personalidades de várias áreas e de diferentes gerações para quem o encontro com o cinema foi uma descoberta fundamental na infância ou adolescência, terminando com um balanço sobre “a descoberta do cinema”, com a participação de Maria João Seixas e de Nathalie Bourgeois que, com Alain Bergala, foi responsável por uma importante recolha e reflexão em torno da questão (Cet enfant de cinema que nous avons été, ed. 1993), e de cineastas com experiências muito distintas como Manuel Mozos ou a realizadora Salomé Lamas, e  Pierre-Marie Goulet.

O PROJECTO

Cada um de nós tem dentro de si sensações e emoções que vêm de filmes, de fragmentos de filmes ou mesmo de imagens isoladas vistas na infância numa sala escura.

Mesmo se pensamos que as esquecemos um pequeno esforço de memória pode facilmente fazê-las ressurgir assim como por vezes o contexto em que essa experiência teve lugar.

Aproveitando a organização do colóquio “A Iniciação ao Cinema – Experiências e Reflexões” que decorreu na Cinemateca Portuguesa e no Institut Français du Portugal, em que uma parte foi consagrada ao “Cinema da Minha Infância” com testemunhos de diversas personalidades sobre o seu primeiro contacto afectivo com os filmes, a associação Os Filhos de Lumière procura alargar ao máximo a recolha de memórias de um encontro por vezes inesquecível de uma criança (e depois de uma outra forma do adolescente) com o cinema.

No momento também em que “Os Filhos de Lumière” se prepara para lançar o seu projecto piloto “A Escola no Cinema” estes testemunhos poderão ser preciosos pontos de referência sobre as condições em que um verdadeiro contacto com o cinema pode estabelecer-se entre uma criança e um filme assim como indicações preciosas sobre o que pode facilitar esse encontro ou por outro lado o pode tornar mais aleatório.

A ideia não é portanto responder a um questionário mas deixar que surjam livremente recordações, emoções, revelações, do que foram estas experiências de cinema inicial.

Seguem algumas referências que poderão ajudar a re-suscitar algumas recordações.

A .INFÂNCIA

 1) Quais foram as imagens na infância, uma ou duas sequências de filmes, ou um filme inteiro que deixou uma marca ? Lembra-se do título do (s) filme (s) ? Seria possível hoje ainda descrever essas imagens, essa sequência ? Que tipo de recordação emocional ficou dessas imagens (e sons) ? Tiveram depois uma importância particular na sua vida ?

Nota : Não se trata necessáriamente do primeiro filme visto.

 2) Lembra-se das condições em que esses filmes foram vistos e se o contexto influenciou a visão do filme, se ajudou ou perturbou a impressão que ficou dele na memória ? Foi aonde ? Projectado numa sala de cinema ?  Projectado numa sala de aula ? Em DVD ? Estava só ou acompanhado ? acompanhado por quem ? pais ? professores ? amigos ?

 B. ADOLESCÊNCIA

 3) Já mais velho(a) na adolescência, houve certamente uma segunda etapa marcante na relação com o cinema, onde já haveria uma escolha de filmes, ou descobertas marcantes, o encontro com imaginários, filmes que nos ajudaram  a ver e a conhecer o mundo…