Dez 292018
 

Desde o início do ano lectivo 2018-2019, um grupo de alunos e antigos alunos da Escola Secundária de Camões em Lisboa – que participam ou participaram nas oficinas do programa Cinema, cem anos de juventude, da associação Os Filhos de Lumière, preparam um filme sobre a escola no âmbito fe uma oficina O Primeiro Olhar.
 
No sábado 28 de Dezembro fizeram um primeiro dia de filmagem.
Dez 102018
 

 

No dia 10 de Dezembro de 2018 o grupo de adultos da APPACDM – Associação Portuguesa de Pais e Amigos do Cidadão com Deficiência Mental de Lisboa apresentaram na Cinemateca Júnior o seus trabalhos realizados durante dois anos no âmbito das oficinas O Primeiro Olhar 102 e O Primeiro Olhar 108: alguns “minutos Lumière” (planos individuais) e dois filmes colectivos. Foi também apresentado um pequeno “Making of” que evoca o processo dos trabalhos realizados.
Estavam presentes, além dos formandos e das suas familias, as duas professoras, Alexandra Velez e Taísa Espadinha, que acompanharam as oficinas assim como a equipa de formadores de Os Filhos de Lumière.. A seguir à projecção, houve um conversa entre todos e partilha de experiências .
 
Estas oficinas O Primeiro Olhar 102 e 108, integram o projecto O Mundo à Nossa Volta da associação Os Filhos de Lumière.
Oficina orientada por Ana Eliseu com José Lã Correia (imagem), Mafalda Roma (som) e Sann Gusmão (montagem).
Nov 122018
 
No âmbito de Eterna Biblioteca – 16º Encontro de Professores e Educadores do Concelho de Sintra que terá lugar no Auditório do Centro Cultural Olga Cadaval, no dia 23 de Novembro às 11h30, a associação Os Filhos de Lumière irá apresentar os seus projectos e metodologia de trabalho com jovens, professores e mediadores culturais no panel “Para um Plano Nacional de Cinema”, com moderação de Isabel Mendinhos, da Rede de Bibliotecas Escolares. Teresa Garcia apresentará os diversos projectos – O Mundo à Nossa Volta: Cinema, cem anos de juventude e O Primeiro Olhar e Filmar assim como os projectos europeus CinEd, Shortcut e Le Cinéma, cent ans de jeunesse) implantados em Portugal e em Sintra pela associação, e Djanira Oliveira apresentará exemplos de trabalho prático com os professores e alunos da Escola Secundária Miguel Torga no âmbito do projecto Cinema, cem anos de juventude. Os professores da E.S.Miguel Torga que participam nesta oficina fazem parte também deste panel.
 
Panel “Para um Plano Nacional de Cinema”:
Isabel Mendinhos –  Rede de Bibliotecas Escolares, moderação
Teresa Garcia e Djanira Oliveira – Os Filhos de Lumière
Maria José Romão, Rui Martins, Ana Catarina Alves – Escola Secundária Miguel Torga
Maria João Martins – Divisão de Educação e Juventude da C.M. de Sintra
 
Nov 102018
 

No âmbito da 3ª Conferência do  Plano Nacional de Cinema intitulada “Entre Espaços, a Escola e o Cinema” que terá lugar na Cinemateca Portuguesa, no dia 17 de Novembro com início às 9h00, até 13h30, a associação Os Filhos de Lumière irá apresentar os seus projectos e metodologia de trabalho com jovens, professores e mediadores culturais no painel “Cinema é no Cinema: experiências de formação cinematográficas”, com moderação de Elsa Mendes, coordenadora nacional do PNC. Teresa Garcia apresentará os diversos projectos – O Mundo à Nossa Volta: Cinema, cem anos de juventude e O Primeiro Olhar e Filmar assim como os projectos europeus CinEd, Shortcut e Le Cinéma, cent ans de jeunesse) implantados em Portugal pela associação, e Ana Eliseu apresentará exemplos de trabalho prático com os professores e alunos através dos cadernos pedagógicos, no âmbito da formação  “Crescer com o Cinema” que integra o projecto Europeu CinEd.

Esta conferência conta com a presença de José Manuel Costa, Director da Cinemateca Portuguesa, de José Vitor Pedroso, Director-Geral da Educação, Luís Chaby Vaz, Presidente do Conselho Directivo do ICA, João Costa, Secretário de Estado da Educação e Ângelo Carvalho Ferreira , Secretária de Estado da Cultura.
Nov 062018
 
No dia 5 de Novembro de 2018 o grupo de adultos da APPACDM – Associação Portuguesa de Pais e Amigos do Cidadão com Deficiência Mental de Lisboa teve uma sessão de preparação da montagem do seu filme colectivo. A partir de fotogramas dos planos filmados experimentaram a ordem dos planos e as possiveis ligações.
 
Esta oficina O Primeiro Olhar 108, integra o projecto O Mundo à Nossa Volta.
Oficina orientada por Ana Eliseu.
Out 082018
 

No dia 8 de Outubro de 2018 o grupo de adultos da APPACDM – Associação Portuguesa de Pais e Amigos do Cidadão com Deficiência Mental de Lisboa teve uma sessão de filmagem do seu filme colectivo.

Esta oficina O Primeiro Olhar 108, integra o projecto O Mundo à Nossa Volta.
Oficina orientada por Ana Eliseu com a colaboração de José Lã Correia (imagem), Mafalda Roma (Som), Sann Gusmão (montagem e produção)
Jun 302018
 

Decorreu entre 25 e 29 de Junho de 2018, na Cinemateca Júnior, O Primeiro Olhar 109, oficina de iniciação ao cinema, numa parceria entre a associação Os Filhos de Lumière e a Cinemateca Júnior.

Os alunos descobrem a matéria do cinema vendo e analisando filmes, nomeadamente três filmes da colecção CinEd, Regresso às Aulas (Rentrée des Classes) de Jacques Rozier, Luzinha (Petite Lumière) de Alain Gomis e Aniki-Bóbó de Manoel de Oliveira mas também alguns planos dos Irmãos Lumière . Trabalham a partir de fotogramas, criam depois as suas próprias histórias e entram na fase de rodagem do seu filme ocupando o papel de realizadores, assistentes de realização, anotadores, actores, operadores de câmara, responsáveis do som, etc. No final fazem a montagem antes de apresentar o filme na sala da Cinemateca Júnior.

Oficina orientada por Ana Eliseu (realização) com José Lã Correia (imagem), Mafalda Roma (som) e Sann Gusmão (montagem e produção)
Fev 212017
 

 
No dia 20 de Fevereiro de 2017, os alunos da turma do 4º ano da Escola nº 1 do Vale da Amoreira, fizeram mais uma sessão de filmagem no Parque Hortícola do Vale da Amoreira, da oficina O Primeiro Olhar 103 inserida no programa O Mundo à Nossa Volta e no âmbito de uma iniciativa da Câmara Municipal da Moita com o apoio da Fundação EDP.
 
Os alunos, que também participam numa oficina Cinema, cem anos de juventude a realizar durante o ano lectivo 2016/2017, realizarão neste contexto especial um pequeno documentário sobre as hortas comunitárias, sobre os produtos ali cultivados e sobre a relação dos hortelãos com as mesmas.
 

O Projecto – Parque Hortícola do Vale da Amoreira
Cultivar a coesão social num espaço partilhado e sustentável

A partir de uma zona desordenada, com hortas escondidas por detrás de muros improvisados com materiais diversos e lixo, criou-se um espaço planeado e valorizado, onde os hortelãos têm legitimidade na utilização do terreno, melhores condições de segurança e salubridade e acesso a formação em práticas ecológicas de cultivo. Passou-se assim para um modelo de utilização partilhada, em que cada um pode ver e comunicar com o vizinho. O Parque Hortícola do Vale da Amoreira abriu em 2015 e dispõe de 81 parcelas para famílias e associações, abrigos comuns para ferramentas em contentores adaptados, rede de rega, zona de lazer, vedação exterior e sinalética.

Este projeto do Município da Moita, co-financiado pela Fundação EDP, pretende não só proporcionar um complemento de subsistência, mas também produzir efeitos ao nível do bem-estar e coesão social. Para isso inclui medidas para promover uma boa convivência e intercâmbio cultural e geracional entre utilizadores e restante comunidade, incluindo workshops, atividades artísticas e outras, que valorizarão a atividade dos hortelãos perante toda a comunidade.

Fev 082017
 

No dia 6 de Fevereiro de 2017, os alunos da turma do 4º ano da Escola nº 1 do Vale da Amoreira, deram início às rodagens no Parque Hortícola do Vale da Amoreira, da oficina O Primeiro Olhar 103 e no âmbito de uma iniciativa da Câmara Municipal da Moita com o apoio da Fundação EDP.


Os alunos, que também participam numa oficina Cinema, cem anos de juventude a realizar durante o ano lectivo 2016/2017, realizarão neste contexto especial um pequeno documentário sobre as hortas comunitárias, sobre os produtos ali cultivados e sobre a relação dos hortelãos com as mesmas.


O Projecto – Parque Hortícola do Vale da Amoreira
Cultivar a coesão social num espaço partilhado e sustentável


A partir de uma zona desordenada, com hortas escondidas por detrás de muros improvisados com materiais diversos e lixo, criou-se um espaço planeado e valorizado, onde os hortelãos têm legitimidade na utilização do terreno, melhores condições de segurança e salubridade e acesso a formação em práticas ecológicas de cultivo. Passou-se assim para um modelo de utilização partilhada, em que cada um pode ver e comunicar com o vizinho. O Parque Hortícola do Vale da Amoreira abriu em 2015 e dispõe de 81 parcelas para famílias e associações, abrigos comuns para ferramentas em contentores adaptados, rede de rega, zona de lazer, vedação exterior e sinalética.

Este projeto do Município da Moita, co-financiado pela Fundação EDP, pretende não só proporcionar um complemento de subsistência, mas também produzir efeitos ao nível do bem-estar e coesão social. Para isso inclui medidas para promover uma boa convivência e intercâmbio cultural e geracional entre utilizadores e restante comunidade, incluindo workshops, atividades artísticas e outras, que valorizarão a atividade dos hortelãos perante toda a comunidade.

Jan 212017
 

Os alunos do 2º ano do Curso de Animadores Sociocultural da Escola Profissional Alsud, em Mértola durante mais um dia de filmagem no ambito da oficina O Primeiro Olhar 100 (O Mundo à Nossa Volta) do projecto “Geração Bio” que decorre durante o mês de Janeiro de 2017.
 
O Primeiro Olhar 100 é realizado em parceira com a Escola Profissional Alsud com o apoio da Câmara Municipal de Mértola.
 
O Primeiro Olhar 100 onde está trablhado exercícios com dispositivos moveis está inserido no projecto europeu Moving Cinema.

Os parceiros que integram o projecto Moving Cinema são: A Bao A Qu (Catalunha/Espanha),  Meno Avilys (Lituânia), a França (através da Cinemateca francesa) e  o Centre for the Moving Image (Escócia/Reino Unido). Em Portugal o projecto é da responsabilidade da associação Os Filhos de Lumière. Este projecto conta com o apoio da Europa Criativa – sub‐programa Média.
Jan 202017
 

Os alunos do 2º ano do Curso de Animadores Sociocultural da Escola Profissional Alsud, em Mértola num dia de filmagem no ambito da oficina O Primeiro Olhar 100 (O Mundo à Nossa Volta) do projecto “Geração Bio” que decorre durante o mês de Janeiro de 2017.
 
O Primeiro Olhar 100 é realizado em parceira com a Escola Profissional Alsud com o apoio da Câmara Municipal de Mértola.
 
O Primeiro Olhar 100 onde está trablhado exercícios com dispositivos moveis está inserido no projecto europeu Moving Cinema.

Os parceiros que integram o projecto Moving Cinema são: A Bao A Qu (Catalunha/Espanha),  Meno Avilys (Lituânia), a França (através da Cinemateca francesa) e  o Centre for the Moving Image (Escócia/Reino Unido). Em Portugal o projecto é da responsabilidade da associação Os Filhos de Lumière. Este projecto conta com o apoio da Europa Criativa – sub‐programa Média.
Jan 162017
 


O Mundo à Nossa Volta – Isto é Partis from Os Filhos de Lumiere on Vimeo.

De 12 a 15 de janeiro de 2016 vários projetos desenvolvidos com o apoio do PARTIS mostraram o trabalho que têm desenvolvido nas áreas da Música, Teatro, Fotografia, Cinema e até Artes Circenses.
 
O Mundo à Nossa Volta – Isto é Partis” reúne excertos das curtas-metragens realizadas por crianças e jovens nas oficinas organizadas por Os Filhos de Lumière, em paralelo com fragmentos de making-of sobre a construção desses filmes.
 
Procura-se refletir e revelar o processo de criação cinematográfica enquanto forma de desenvolvimento pessoal, de expressão artística, conhecimento de uma nova linguagem, de partilha e contacto com os outros e com o mundo, no âmbito das oficinas de iniciação ao cinema dirigidas a crianças e jovens de meios sensíveis em várias regiões do país, que integram o programa PARTIS – Práticas Artísticas para a Inclusão Social da Fundação Calouste Gulbenkian.