Mar 082017
 


Escola EB1.2./JI Vale da Amoreira (Moita) – Exercícios – 2017 from Os Filhos de Lumiere on Vimeo.

exercícios do programa Cinema, cem anos de juventude 2016-2017 sobre o tema “O Jogo”

regra do jogo dos exercícios:

1/ Exercício individual (ou a pares): depois  de escolherem um jogo que gostem e de fazer repérages, filmar esse jogo de forma documental. Este jogo pode ser jogado por uma ou várias crianças, por jovens ou ainda pessoas idosas… Se possível e de preferência, filmar num espaço fora do estabelecimento escolar ou em sua casa.

Um só plano, 2 minutos máximo.

 2/ Exercício em pequenos grupos: a 2 alunos que tenham sido excluídos de uma aula por um professor é lhes atribuído um espaço limitado. Nesse espaço circunscrito, eles improvisam uma brincadeira que inventam com o que tiverem à disposição: corpos, objectos, espaço.

2 minutos máximo. Filmagem plano sequência ou montagem.

3/ Exercício em pequenos grupos: filmar uma personagem num jogo com a perda de pistas espaciais e temporais*. Para este exercício, filmar ao mesmo tempo a personagem e as sensações físicas que ela experimenta.

* (categoria “vertigem” da tipologia)

Fev 212017
 

No dia 20 de Fevereiro de 2017, os alunos da turma do 4º ano da Escola nº 1 do Vale da Amoreira, fizeram mais uma sessão de filmagem no Parque Hortícola do Vale da Amoreira, da oficina O Primeiro Olhar 103 inserida no programa O Mundo à Nossa Volta e no âmbito de uma iniciativa da Câmara Municipal da Moita com o apoio da Fundação EDP.
Os alunos, que também participam numa oficina Cinema, cem anos de juventude a realizar durante o ano lectivo 2016/2017, realizarão neste contexto especial um pequeno documentário sobre as hortas comunitárias, sobre os produtos ali cultivados e sobre a relação dos hortelãos com as mesmas.

O Projecto – Parque Hortícola do Vale da Amoreira
Cultivar a coesão social num espaço partilhado e sustentável

A partir de uma zona desordenada, com hortas escondidas por detrás de muros improvisados com materiais diversos e lixo, criou-se um espaço planeado e valorizado, onde os hortelãos têm legitimidade na utilização do terreno, melhores condições de segurança e salubridade e acesso a formação em práticas ecológicas de cultivo. Passou-se assim para um modelo de utilização partilhada, em que cada um pode ver e comunicar com o vizinho. O Parque Hortícola do Vale da Amoreira abriu em 2015 e dispõe de 81 parcelas para famílias e associações, abrigos comuns para ferramentas em contentores adaptados, rede de rega, zona de lazer, vedação exterior e sinalética.

Este projeto do Município da Moita, co-financiado pela Fundação EDP, pretende não só proporcionar um complemento de subsistência, mas também produzir efeitos ao nível do bem-estar e coesão social. Para isso inclui medidas para promover uma boa convivência e intercâmbio cultural e geracional entre utilizadores e restante comunidade, incluindo workshops, atividades artísticas e outras, que valorizarão a atividade dos hortelãos perante toda a comunidade.

Fev 082017
 

No dia 6 de Fevereiro de 2017, os alunos da turma do 4º ano da Escola nº 1 do Vale da Amoreira, deram início às rodagens no Parque Hortícola do Vale da Amoreira, da oficina O Primeiro Olhar 103 e no âmbito de uma iniciativa da Câmara Municipal da Moita com o apoio da Fundação EDP.
Os alunos, que também participam numa oficina Cinema, cem anos de juventude a realizar durante o ano lectivo 2016/2017, realizarão neste contexto especial um pequeno documentário sobre as hortas comunitárias, sobre os produtos ali cultivados e sobre a relação dos hortelãos com as mesmas.

O Projecto – Parque Hortícola do Vale da Amoreira
Cultivar a coesão social num espaço partilhado e sustentável

A partir de uma zona desordenada, com hortas escondidas por detrás de muros improvisados com materiais diversos e lixo, criou-se um espaço planeado e valorizado, onde os hortelãos têm legitimidade na utilização do terreno, melhores condições de segurança e salubridade e acesso a formação em práticas ecológicas de cultivo. Passou-se assim para um modelo de utilização partilhada, em que cada um pode ver e comunicar com o vizinho. O Parque Hortícola do Vale da Amoreira abriu em 2015 e dispõe de 81 parcelas para famílias e associações, abrigos comuns para ferramentas em contentores adaptados, rede de rega, zona de lazer, vedação exterior e sinalética.

Este projeto do Município da Moita, co-financiado pela Fundação EDP, pretende não só proporcionar um complemento de subsistência, mas também produzir efeitos ao nível do bem-estar e coesão social. Para isso inclui medidas para promover uma boa convivência e intercâmbio cultural e geracional entre utilizadores e restante comunidade, incluindo workshops, atividades artísticas e outras, que valorizarão a atividade dos hortelãos perante toda a comunidade.

Jan 162017
 


O Mundo à Nossa Volta – Isto é Partis from Os Filhos de Lumiere on Vimeo.

De 12 a 15 de janeiro de 2016 vários projetos desenvolvidos com o apoio do PARTIS mostraram o trabalho que têm desenvolvido nas áreas da Música, Teatro, Fotografia, Cinema e até Artes Circenses.
O Mundo à Nossa Volta – Isto é Partis” reúne excertos das curtas-metragens realizadas por crianças e jovens nas oficinas organizadas por Os Filhos de Lumière, em paralelo com fragmentos de making-of sobre a construção desses filmes.
Procura-se refletir e revelar o processo de criação cinematográfica enquanto forma de desenvolvimento pessoal, de expressão artística, conhecimento de uma nova linguagem, de partilha e contacto com os outros e com o mundo, no âmbito das oficinas de iniciação ao cinema dirigidas a crianças e jovens de meios sensíveis em várias regiões do país, que integram o programa PARTIS – Práticas Artísticas para a Inclusão Social da Fundação Calouste Gulbenkian.
Nov 252016
 

O filme “O Meu Tio”, de Jacques Tati foi apresentado na quarta-feira 23 de Novembro de 2016, , na sala Felix Ribeiro da Cinemateca Portuguesa numa sessão dedicada a todos os participantes nos projectos O Mundo à Nossa Volta (Cinema, cem anos de juventude e O Primeiro Olhar) e Moving Cinema.
Projecção seguida de uma conversa com os participantes das escolas E.B.2.3. Marquesa de Alorna (Lisboa), Escola Secundária de Serpa, Escola Secundária Passos Manuel (Lisboa), Escola E.B. 2.3 Vale da Amoreira (Moita), Escola Secundária de Camões, Agrupamento de Escolas de Mértola, Escola Professional AlSud (Mértola). Escola E.B.2.3 Almada Negreiros (Lisboa)…
Os parceiros que integram o projecto Moving Cinema são: A Bao A Qu (Catalunha/Espanha),  Meno Avilys (Lituânia), a França (através da Cinemateca francesa) e  o Centre for the Moving Image (Escócia/Reino Unido). Em Portugal o projecto é da responsabilidade da associação Os Filhos de Lumière, em parceria nomeadamente com a Cinemateca Portuguesa – Museu do Cinema e Cinema Fora dos Leões. Este projecto conta com o apoio da Europa Criativa – sub‐programa Média.