Fev 142013
 
Entre os dias 18 e 22 de fevereiro, Alain Bergala, que muito tem trabalhado sobre as questões da pedagogia e da transmissão do cinema, entendido como uma área fundamental do campo mais lato da educação artística, apresentará na Cinemateca cinco filmes que escolheu em torno do “tema” “Crescer no Cinema”, no âmbito do programa “A inicição ao Cinema: experiências e reflexões“, organizado conjuntamente pela Cinemateca Portuguesa-Museu do Cinema, a associação cultural Os Filhos de Lumière e o Institut Français du Portugal.
Através de cinco filmes cujos protagonistas fazem uma aprendizagem do “crescer na vida”, ao longo de cinco sessões organizadas num molde semelhante ao programa “Histórias do Cinema”, Alain Bergala abordará o que significa “crescer no cinema”.
segunda-feira 18 às 18h00: Moonfleet,  O Tesouro de Barba Ruiva, de Fritz Lang
terça-feira 19 às 18h00: A Perfect WorldUm Mundo Perfeito, de Clint Eastwood
quarta-feira 20 às 18h00: Ponette, de Jacques Doillon
quinta-feira 21 às 18h00: Onde Fica a Casa do Meu Amigo, de Abbas Kiarostami
sexta-feira 22 às 18h00: Mes Petites Amoureuses, de Jean Eustache
Crítico, cineastaprofessor, ex-editor dos Cahiers du Cinéma, Alain Bergala foi o conselheiro para o cinema de Jack Lang em 2000, sendo responsável pela elaboração do projeto de cinema no quadro do plano de cinco anos para a introdução das artes no ensino. Dedicando-se activamente à questão da pedagogia do cinema, foi um dos fundadores do programa “Le Cinéma, cent ans de jeunesse”/“Cinema, Cem Anos de Juventude”, sendo autor de L’Hypothèse cinéma – Petit traité de transmission du cinema à l’école et ailleurs, obra de referência para a reflexão sobre a iniciação ao cinema, a par de uma extensa bibliografia sobre cineastas como Jean-Luc Godard, Robert Bresson, Ingmar Bergman. Nos últimos anos Alain Bergala tem comissariado várias exposições relacionadas com o cinema, entre as quais “Victor Erice: Abbas Kiarostami – Correspondances”, preparando actualmente uma outra sobre a obra de Pier Paolo Pasolini.