Jan 012019
 

El vínculo con autores de todos los tiempos. Teresa Garcia from Compartir el cinema on Vimeo.

“A ligação com autores de todos os tempos” por Teresa Garcia (em francês)

“Transmitir o cinema: Algumas propostas para o nosso tempo” foi uma conferência que teve lugar na Universidade Pompeu Fabra, em Barcelona em 13-14 de julho 2017, como parte do programa de educação cinematográfica europeia internacional Moving Cinema. 
 
Os parceiros que integram o projecto Moving Cinema são: A Bao A Qu (Catalunha/Espanha),  Meno Avilys (Lituânia) e  o Centre for the Moving Image (Escócia/Reino Unido).

Em Portugal o projecto é da responsabilidade da associação Os Filhos de Lumière

Este projecto conta com os apoios da Europa Criativa – sub‐programa Média e do ICA – Instituto do Cinema e do Audivisual.
Jul 082017
 
Foi apresentado no dia 7 de Julho de 2017,  no Polo Cultural Gaivotas/Boavista, a versão final do filme colectivo Descompassos realizado no âmbito da oficina Filmar 22. Apresentação seguida de uma conversa entre os formandos e os formadores.
 
A oficina Filmar 22 decorreu em Fevereiro de 2017 e foi realizada em parceria cim a FPC/Museu das Comunicações
 
Estas acções de formação para professores visam a experimentação das metodologias e práticas de trabalho desenvolvidas nas oficinas com crianças e jovens, e enquadram-se no quadro de actividades dos projectos europeus CinEd e Moving Cinema.
 
Cineastas-formadores: Teresa Garcia (realização), Rossana Torres (realização e montagem), José Lã Correia (imagem e som),  Maria Maranha (som), Patrícia Gomes e Sara Morais (produção).
 
 
Esta oficina Filmar integra o programa  “O Mundo à Nossa Volta” da associação Os Filhos de Lumière.
Mai 272017
 

Descompassos – Filmar 22 from Os Filhos de Lumiere on Vimeo.

Filme colectivo realizado em Fevereiro de 2017 na oficina “O Que é o Cinema?”
Estas acções de formação para professores visam a experimentação das metodologias e práticas de trabalho desenvolvidas nas oficinas com crianças e jovens, e enquadram-se no quadro de actividades dos projectos europeus CinEd e Moving Cinema.
Oficina realizada em parceria a FPC/Museu das Comunicações
Mai 262017
 

O ciclo No País do Cinema regressa com a programação de uma segunda sessão dupla, dia 14 de Maio no espaço Rua das Gaivotas 6. Antes da segunda parte da sessão, haverá ainda um momento de leitura de poesia e conto.

19h00 | La Jetée, de Chris Marker
19h30 | Leitura de excertos da obra Werther, de J. W. Goethe por  Miguel Mateus
21h30 | Vertigo (A Mulher que Viveu Duas Vezes), de Alfred Hitchcock
Filmes em versão original com legendas em português

Esta sessão, integrada no projecto europeu Moving Cinema, foi organizada com a parceria do espaço Rua das Gaivotas 6.O projecto No País do Cinema é uma parceria entre Os Filhos de Lumière, em Lisboa, e o Cinema-Fora-dos Leões, em Évora, e ainda da Cinemateca Portuguesa, com o apoio do ICA. Surge da vontade de dar a conhecer a arte cinematográfica como meio de expressão, de conhecimento, de intervenção, de partilha e de diálogo com os outros, e de fortalecer laços entre a comunidade onde estas entidades estão sediadas.
 
Os parceiros que integram o projecto Moving Cinema são: A Bao A Qu (Catalunha/Espanha),  Meno Avilys (Lituânia) e  o Centre for the Moving Image (Escócia/Reino Unido).
Em Portugal o projecto é da responsabilidade da associação Os Filhos de Lumière.
Este projecto conta com o apoio da Europa Criativa – sub‐programa Média.
 
Em Junho, as sessões do ciclo No País do Cinema volta a integrar a programação do “Lusco-fusco” a ter lugar no pátio do Polo Cultural Gaivotas | Boavista. 
Mai 092017
 

No dia 8 de Maio de 2017, os alunos de 12º ano do Agrupamento de Escolas de Mértola fizeram uma sessão de “repérages” para o documentário que vão realizar no âmbito da oficina O Primeiro Olhar 99, inserida no projecto  “Sentir, Tecer e Criar – Novelo da Vida em Cinema” promovido pela ADPM – Associação de Defesa do Património de Mértola.  A sessão foi de registo da tosquia tradicional de uma ovelha, utilzando dispositivos moveis, experimentação realizada no ambîto do projecto Moving Cinema
 
O Projeto “Sentir, Tecer e Criar – Novelo da Vida em Cinema” tem como objetivo fomentar a inclusão, a participação ativa dos jovens assim como dos idosos socialmente desfavorecidos, através de uma estratégia de dinamização artística e inclusiva que valoriza a sua identidade cultural e as competências quer dos jovens, quer das pessoas idosas das comunidades.
 
Este oficina resulta de uma parceiria entre a associacão Os Filhos de Lumière e a ADPM – Associação de Defesa do Património de Mértola, a associação Entre Imagem, a Fundação Graça Gonçalves, a Cooperativa de Tecelagem de Mértola, e tem o apoio do ICA e do banco Montepio.
Mai 042017
 

No dia 3 de Maio de 2017 os alunos do Clube de Cinema de Serpa fizeram uma sessão de reperagem para o filme-ensaio (filme final) do programa Cinema, cem anos de juventude 2016-2017 sobre o tema “O Jogo utilzando dispositivos moveis, experimentação realizada no ambîto do projecto Moving Cinema
 
O Clube de Cinema de Serpa reúne alunos oriundos de duas escolas: Escola Básica Abade Correia da Serra e Escola Secundária de Serpa.
Abr 252017
 

l Posto (O Emprego), de Ermanno Olmi e A Promessa, de Luc e Jean-Pierre Dardenne serão apresentados no sábado 29 de Abril de 2017, às 14h00, na Cinemateca, numa sessão dupla programada pelo Cineclube das Gaivotas, iniciativa da associação cultural Os Filhos de Lumière, em parceria com a Cinemateca Portuguesa.
 
Esta programação, integrada no projecto Moving Cinema, faz parte de um ciclo que conta com jovens programadores da Escócia, Espanha e Lituânia, e teve como ponto de partida uma lista comum de filmes da qual cada cineclube escolheu um par de filmes (obrigatoriamente um deles anterior a 1989 e outro posterior). A primeira sessão foi a nossa proposta, a segunda foi a proposta do cineclube da Lituânia.
 
Esta sessão interroga-nos acerca da transição para a idade adulta, do que é ser livre, o poder de escolha, o compromisso, e também acerca do papel do indivíduo na sociedade capitalista ocidental, de como é viver fora/ dentro desta, e de como essa sociedade se veio a desenvolver ao longo da segunda metade do século XX e a criar problemas cada vez mais complexos e amplos.
 
Apesar dos filmes serem apresentados a pares, existe entre eles uma linha condutora, criada através das fases da vida de uma criança até à transição para idade adulta. Nos quatro filmes, quatro personagens masculinas, com uma presença muito forte, debatem-se com o seu presente e uma ideia de futuro. Em todos eles a questão da liberdade é fulcral e parece-nos um bom ponto de partida para refletirmos sobre a sociedade atual que começa em nós, e para interrogar sobre tudo o que nos moldou até aqui.
 
Projecção seguida de uma conversa sobre os filmes com a presença dos convidados Rui Tavares e Luciana Fina.
Abr 082017
 

O Encontro Cinema Educação, organizado pela Cinemateca Portuguesa e a associação Os Filhos de Lumière,  vai decorrer de 20 a 22 de Abril de 2017 na Cinemateca Portuguesa

Num contexto em que volta a ser tema de discussão alargada a relação entre a educação e as artes – não apenas o ensino artístico mas o universo mais vasto da educação pela arte e do papel das artes em todo o âmbito educativo –, num contexto em que vários novos projetos sobre a iniciação ao cinema percorrem a Europa e têm eco no nosso país (CinED, Moving Cinema, Cinéma cent ans de jeunesse), e num contexto em que está, aliás, em desenvolvimento mais uma iniciativa governamental em que se procura a inserção do cinema nos percursos escolares (o Plano Nacional de Cinema), a Cinemateca junta-se à Associação Os Filhos de Lumière para organizar um encontro dedicado às múltiplas vertentes da relação entre o Cinema e a Educação.
 
Coincidindo com as comemorações dos 10 anos da Cinemateca Júnior, o objetivo é integrar a nossa própria reflexão sobre o papel que nos cabe neste âmbito numa reflexão mais ampla sobre o cinema enquanto experiência educativa e sobre o trabalho educativo feito com o cinema. Neste encontro, autores e investigadores de várias áreas – tanto do lado da educação como do lado do cinema – serão convidados a levantar questões e a debater o tema, cruzando experiências e ideias numa agenda de discussão aberta, que permita acima de tudo ampliar o âmbito conceptual normalmente tido em conta neste campo. Não esquecendo experiências passadas inovadoras – muitas delas descontinuadas ou até esquecidas, na área do cinema como na área da pedagogia – o objetivo será o de trabalhar o cinema como um dos contributos possíveis para rasgar as fronteiras mais convencionais da experiência educativa, ao mesmo tempo que se trabalha a experiência educativa como área exploratória de novos caminhos cinematográficos. De um e do outro lado, o desafio é portanto o da própria intensificação da experiência, assim como o da máxima exigência e abertura no decurso dela.”

in programa da Cinemateca

O encontro, aberto a todos os interessados, decorre na Sala M. Félix Ribeiro nos dias 21 e 22 de abril
(21 de abril entre as 10h e as 17h; 22 de abril entre as 10h e as 13h)
e é também o contexto da apresentação de “Révolution École 1918-1939″, de Joanna Grundzinska
e “A Professora da Aldeia”, de Mark Donskoy, nas sessões das 21h30 de 20 e das 19h de 21 de abril.

Quinta-feira, 20 de abril, 21h30

Révolution École 1918-1939″, de Joanna Grundzinska – legendado eletronicamente em português
Com a presença de Joanna Grudzinska – Projeção seguida de debate

Sexta-feira, 21 de abril, 10h00-13h00

PEDAGOGIA, ARTES, CINEMA: INTERESSAR A ESCOLA / TRANSFORMAR A ESCOLA

Intervenções: Miguel Honrado, Secretário de Estado da Cultura / Maria Emília Brederode Santos
José Manuel Costa / Pierre Marie Goulet / Teresa Garcia / João Mário Grilo  / Alain Bergala

Sexta-feira, 21 de abril, 14h00-17h00

ESTUDOS DE CASO: PROJETOS NACIONAIS E TRANSNACIONAIS
A SENSIBILIZAÇÃO AO CINEMA DENTRO E FORA DA ESCOLA

Intervenções: João Costa, Secretário de Estado da Educação /Elsa Mendes (Plano Nacional de Cinema) / Ana Eliseu e Rossana Torres (Associação “Os Filhos de Lumière”) / Neva Cerentola (Cinemateca Júnior) / Nathalie Bourgeois (Cinéma, cent ans de jeunesse) / Lena Rouxell (CinEd)
Jacques Lemière (Université Lille 1) / Guilherme d’Oliveira Martins

Sexta-feira, 21 de abril, 19h00

A Professora da Aldeia”, de Mark Donskoi – legendado eletronicamente em português

Sábado, 22 de abril, 10h00-13h00

A UTILIZAÇÃO DO CINEMA NO SEIO DO SISTEMA ESCOLAR:
O PONTO DE VISTA DOS PROFESSORES

Intervenções:
Entre outros, professores das escolas Marquesa de Alorna, Pintor Almada Negreiros, Luis António Vernay (Lisboa), Escola Secundária de Pinhal Novo, Agrupamento de Escolas de Mértola e Escola Secundária Damião de Goes (Alenquer)

Fev 172017
 

Decorre de 15 a 17 de Fevereiro de 2017, em Lisboa, o segundo encontro do ano entre parceiros do projecto Moving Cinema.
 
Este encontro reune as entidades que há longa data se dedicam á sensibilização ao cinema dentro e fora da escola através do contacto com obras chave da história do cinema aliado á experimentação do acto de filmar com o apoio de cineastas e profissionais de cinema: “Os Filhos de Lumière” em Portugal, “A Bao A Qu” na Catalunha, Espanha, “Meno Avylis” na Lituânia, o Centre for the Moving Image (Escócia/Reino Unido). Em Portugal o projecto é da responsabilidade da associação Os Filhos de Lumière, em parceria nomeadamente com a Cinemateca Portuguesa – Museu do Cinema e Cinema Fora dos Leões, em Évora, se associaram.
 
Moving Cinema tem como objectivo pensar e desenvolver através de metodologias comuns, de uma prática e reflexão conjunta, novas formas de olhar o cinema (nacional, europeu e do mundo) e de o apreciar como forma de expressão artística e de conhecimento do mundo.
Para além dos encontros, seminários projecções, site comum, edições, etc. que irão reunir os quatro países em torno de um objectivo comum, realiza-se em cada país um programa ao longo do ano (projecções, encontros com realizadores, oficinas, cineclube das Gaivotas ) que entrá em diálogo com os outros três.
 
Os parceiros que integram o projecto Moving Cinema são: A Bao A Qu (Catalunha/Espanha),  Meno Avilys (Lituânia) e  o Centre for the Moving Image (Escócia/Reino Unido). Em Portugal o projecto é da responsabilidade da associação Os Filhos de Lumière.
Este projecto conta com o apoio da Europa Criativa – sub‐programa Média.